09 fevereiro 2017

Resenha: As Lendas de Yelena Zaltana 2 - Estudos sobre Magia


Editora: Harlequin
Autora: Maria V. Snyder
Páginas: 414

"- Qual é o motivo verdadeiro?

Raiva ardeu nos olhos cor de jade de Leif, contudo, um segundo depois, sua postura se suavizou, como se alguém houvesse soprado uma vela. Ele sussurrou:

- Não podia ficar sem fazer nada e perdê-la novamente." (pg. 194)


O segundo volume de Yelena Zaltana não se passa em Ixia, mas sim em Sitia, as únicas terras onde os magos atualmente podem viver. Ela vai junto de Irys, uma maga que encontrou anteriormente e que é a Quarta Maga de Sitia, por assim se dizer uma das governantes. Especialmente porque, bem... Agora que sabem que ela tem magia, voltou a ordem de execução em Ixia - apesar de tudo que ela fez antes, porque é a lei - e dessa vez nada pode salvá-la. Exceto, claro, ir para Sitia. (e parece que lembro menos ainda do livro 2 do que do 1... Ai ai ai... Já vi que tenho de reler os três primeiros antes de avançar pros novos que saíram .-.' Tive de pedir ajuda para resumos dos acontecimentos do livro ç_ç)

Sitia, aliás, é a terra natal de Yelena, de onde ela foi sequestrada aos seis anos, da terra de seus clãs, os Zaltana. Até onde me lembro, ela não se lembrava disso, de sua vida antes do orfanato em Ixia, até recentemente. Em Sitia, Irys se torna sua tutora em definitivo em magia e Yelena reencontra sua família, inclusive um irmão mais velho, Leif - que afirma odiá-la, aliás.

Durante esse livro, em Sitia, Yelena ajuda sua mestra e outros na investigação em busca de um mago extremamente poderoso que tem se mostrado um serial killer. Em meio a isso, ajudando uma vítima que conseguiu fugir antes de ser morta, descobre-se que Yelena é uma Descobridora de Almas, um dom mágico específico e raro que por conta de outros que existiram e não fizeram coisas muito boas, é extremamente temido.

Em meio a busca pelo serial killer, que tomou a alma de diversas garotas, Yelena conhece o Homem da Lua, um Tecelão de Histórias que se minha memória não falha pertence ao Clã Sandseed e que possui uma mágica bem única. Esse Homem da Lua é o primeiro a dar pistas que Descobridores de Almas não são exatamente o que todos pensam, além de ajudar Leif e Yelena a se entenderem.

Nosso querido Valek também aparece, embora disfarçado em meio a uma delegação de Ixia por ser oficialmente proibido de pisar em Sitia - nenhum mago gosta de alguém imune a magia -, e ele auxilia na caça ao serial killer.

Como se resolve isso? Quem é o serial killer? Deixo para vocês descobrirem ;) Apenas aviso: apesar do que parece com o flerte de um personagem lá chamado Cahil, não rola triângulo amoroso. Aliás, o cara é um fdp, então continuem amando Valek :P

A narrativa e a história continua extremamente bem amarrada e envolvente e do tipo "Dá pra ver tudo que tá acontecendo perfeitamente, caramba!". Eu realmente amo a narrativa da Maria V. Snyder e a forma como ela conta e amarra tudo na história. Além de, claro, ser fácil "me sentir" Yelena com a narrativa em primeira pessoa muito viva. As alegrias, tristezas e frustrações e todo o mais da personagem acompanham o contar da história naturalmente, sem ficar forçado, mas sempre ali.

Os personagens, então... Já mencionei o Cahil, certo? Ele é um dos raros personagens que quase me enganaram em seu caráter. Ponto pra autora, porque isso demonstra sua habilidade com desenvolvimento de personagens e escrita, ser capaz de desviar a atenção.

Não apenas Cahil, mas Irys também: ao mesmo tempo que ela é uma das minhas personagens preferidas, ela às vezes cometia certas ações, tencionando proteger Yelena e afins, que me deixavam doida com ela! Uma personagem muito real, por assim se dizer. Leif, com seu ódio à Yelena que então se resolve, suas preocupações mostrando-se infundadas, também é extremamente bem construído e desenvolvido, em seus poderes mágicos e em seu psicológico quanto ao sequestro e volta da irmã. E o Homem da Lua? Quase um Mestre dos Magos ainda mais misterioso mas de um jeito meio indígena. Um dos meus favoritos, definitivamente!

O universo, nesse livro, é expandido e mais explicado, e se torna cada vez mais complexo e intrigante, e em momento nenhum a autora deixa a peteca cair nesse quesito! Além disso, é interessante como ela mostra as diferenças entre os dois países na visão de Yelena: Ixia, quase-socialista em nossos termos (dando certo porque Ambrose é abnegado e tals, mas certeza que quando ele morrer a coisa começa a entornar), e Sitia, onde existe pobreza e todo o mais, mas também existe uma certa liberdade.

Uma continuação muito boa e que faz um trabalho muito bom em guiar a história de Yelena e que eu definitivamente continuarei recomendando.

Classificação Final:





Adendo de fã-girl: acabo de descobrir sobre uma outra série da autora que segue uma personagem que aparece no terceiro livro e que é incrível!

Oh, Harlequin, porque parou com Yelena Zaltana e seu universo? ç_ç