10 junho 2016

Resenha: As Crônicas de Herannon 3ª Era - O Aprendiz do Arquimago

(Com meu escorpião em resina que tenho faz séculos porque um personagem do livro é tão traiçoeiro quanto, pelo menos pra mim. Não, não contarei quem)

Editora: Chiado
Autor: Michael A. Iora
Páginas: 627

"- BASTA! - Vedriny bateu com as mãos sobre a mesa com tamanha violência que surpreendeu a todos e sobressaltou a cocatrce. - Será que podemos ter uma ceia em paz, sem que vocês fiquem se provocando e insultando?! Kyehn, você é um estúpido; e Amahande, pare de reagir às provocações dele!

O arquimago resfolegou de modo zombeteiro, mas bastou um relance para o olhar carregado de Vedriny e ele resolveu se manter quieto. Aglarion quase riu da situação, mas a elfa estava tão irritada que até mesmo ele achou prudente não provocá-la.[...]" (Pg. 266)

Pois bem. Eu gostei do livro, é bom na minha opinião, com uma narrativa interessante e envolvente, com personagens reais em suas personalidades e cativantes a sua própria maneira (mas o chororô de Aglarion no começo irrita. Muito. Não tenho saco pra pessoas assim, sejam reais ou não .-.) e um universo rico e pensado nos mínimos detalhes, inclusive unidades de medida (é muito perfeccionismo numa pessoa só xD). Tirando o mapa de Herannon: CADÊ O MAPA, MIKE?!

Entretanto, embora eu tenha gostado do livro e o considere bom, tenho algumas observações não tão boas a serem feitas. Pelo menos para mim.

A história também é até que bem amarrada e atraente, entretanto, provavelmente por conta do ponto de vista escolhido, focado em Aglarion, falhei em perceber qual era o conflito principal do livro, o que fazia a história andar, e por conta disso quando o final chegou, não teve um impacto tão grande. Quase como se o clímax não tivesse sido construído de fato. Tivemos pistas sobre o motivo dos acontecimentos finais nas conversas de Kyehntw'arthal e Amahande e um ou outro personagem que Aglarion ouvia, mas ao mesmo tempo, não senti realmente um envolvimento do personagem com essa trama que, em teoria, é o foco, mas que na prática, parece ficar mais em segundo plano, o primeiro plano sendo pura e simplesmente o treinamento que Aglarion passa nas mãos de Kyehn e o quanto o mago gosta de atormentar e desprezar e se fazer de bonzão perante os outros. Embora a história seja boa e interessante, falta emoção de fato e acaba ficando entediante num certo nível. Os personagens são interessantes, mas é difícil de se conectar realmente com qualquer um deles - especialmente porque Aglarion chora muito no começo.

Se a narrativa se alternasse em seus pontos de vista entre Aglarion e outros personagens, ou se Aglarion descobrisse e pesquisasse mais por si próprio por real curiosidade, ao invés de apenas ficar dependendo de Kyehn revelar algo (como Harry Potter faz, especialmente se considerar que Kyehn tem uma enorme biblioteca que Aglarion pode explorar à vontade e só lembro de vê-lo explorando-a realmente uma vez. Sim, ele tem tarefas e afins a cumprir, mas caramba, cadê a curiosidade desse menino? Pergunta uma porrada de coisas pro Kyehn, mas não vai atrás por si próprio?) o livro ficaria muito melhor, ao menos na minha opinião. Seria menos entediante e criaria um real clímax quanto ao final.

Em questão de história, é isso que tenho à falar.

Quanto à edição física do livro... A capa é linda e o papel usado é muito bom. A revisão também é muito boa, não peguei nenhum erro absurdo (nenhum erro, na verdade).

Mas eu odiei como a diagramação foi feita no sentido de escolha do tamanho da fonte e do espaçamento utilizado. God of War II tem o mesmo tamanho em sentido de 14cm x 21cm ou algo assim (preguiça de pegar uma régua), entretanto o espaçamento entre linha é menor e a fonte também é menor, e continua confortável para ler. É como se isso tivesse sido feito para aumentar a quantidade de páginas e dar a sensação de livro grande. Gente, tenhamos dó das árvores, não precisa usar fonte tamanho 16 no texto pras pessoas enxergarem não ç.ç Não precisa ser num tamanho estilo Bíblia Sagrada de bolso, mas também não precisa deixar tão grande. Pensem nas árvores :3

Enfim, gente, era isso que tinha à dizer. Enrolei muito, tipo, muito mesmo pra escrever essa resenha. Destaco que as críticas feitas não significam que o livro é ruim, longe disso, só achei que faltou emoção mesmo. Quero saber o que vai acontecer por conta de um plot twist no final e vou acompanhar a saga, mas também queria destacar que achei a forma como a história foi contada entediante. .-.

Classificação final:
(-0,5 coração pelo jeito de levar ao clímax e -0,5 pela diagramação xD)