10 abril 2014

Resenha: A Aprendiz e O Lorde Supremo - Trilogia do Mago Negro 2 e 3

Editora: Novo Conceito
Autor: Trudi Canavan
Páginas: 534

"Virando a maçaneta, Sonea cambaleou para dentro da sala de visitas. Parou, respirando fundo, enquanto o alívio tomava conta dela. Ela havia encarado o pesadelo e sobrevivido. mas não sabia se ia conseguir dormir com facilidade agora. Ela o tinha visto matar e sabia que era algo que nunca ia esquecer." pg 534

Não sei como começar essa resenha. Não sei mesmo. Acho que colocar a última frase do livro como quote de abertura indica isso.

O livro começa com o treinamento de Sonea por Rothen e demais magos no Clã em Kyralia, e passando por maus bocados (aka bullying) com alguns alunos, liderados por um aluno chamado Regin, devido à sua origem das favelas. Ao mesmo tempo, Dannyl viaja à mando de Lorlen para Elyne, para refazer os passos que Akkarin percorreu em suas viagens, com a desculpa de pesquisar Magia Antiga. Lá, ele conhece Tayend, seu assistente nas pesquisas e, nos termos de Elyne, um "Moço" (aka Homossexual).

Conforme a história avança, Akkarin acaba por descobrir que Sonea, Rothen e Lorlen sabem de seu segredo, e para garantir o silêncio tanto de Rothen como da jovem, a toma como sua aprendiz.

"- Vocês dois me exporiam, se pudessem - disse Akkarin. Ficou calado por algum tempo, e virou-se para eles. - Vou reivindicar a guarda de Sonea. As habilidades dela são avançadas e, conforme Lorlen supunha, ela tem uma força incomum, incrivelmente alta. Nenhum de vocês vai questionar minha escolha.

- Não! - Implorou Rothen, apertando mais ainda as mãos.

- Sim - respondeu Akkarin, voltando-se para encará-los. - Ela será a garantia do seu silêncio. Você jamais contará a ninguém que eu pratico magia negra enquanto ela for minha. - Os olhos dele fitaram os de Sonea. - E o bem-estar de Rothen será a minha garantia de que você vai cooperar." pg 294

É aí que eu considero que o livro realmente começa pra Sonea. Particularmente, acho que, pra ela, a parte um acaba sendo meio enrolada... Para Dannyl e Tayend, em Elyne, tudo vai às mil maravilhas. Já com a Sonea, acho que certas partes podiam ser abreviadas...

Ainda assim, o livro é bem menos enrolado que o primeiro. Não me levem a mal: a história continua ótima, a narrativa também, mas tenho uma inegável sensação de que os dois primeiros livros tem muita enrolação. Isso sou eu. Outras pessoas não possuem essa sensação.

Apesar dessa "enrolação", existem certas coisas que eu realmente gostei. Como saber mais sobre o passado de Dannyl, acompanhar sua jornada para para refazer os passos de Akkarin e sua pesquisa sobre Magia Antiga, além, é claro, de ver ele se redescobrindo como pessoa. E, apesar de minhas reclamações sobre a enrolação na parte da Sonea, só pra todo mundo descobrir afinal o quanto ela é poderosa, foi incrivelmente divertido ver ela colocar Regin em seu devido lugar lá para o final do livro. Fiquei que nem besta, falando "Tome, Regin! Tome!".

Ademais, a Novo Conceito continua de parabéns quanto à capa, revisão e diagramação.




Editora: Novo Conceito
Autor: Trudi Canavan
Páginas: 612

"Com as mãos trêmulas, Sonea passou os dedos sobre o rosto dele e se inclinou, beijando-lhe a boca sem vida.

Então se enrolou em volta dele e começou a chorar." Pg 597

Ok.

Esse, na minha humilde opinião, é O LIVRO da saga. Os outros são mais para conhecer o mundo de Sonea, Rothen, Akkarin, Dannyl e Ceryl, algo dos passos dos personagens principais, se apegar à eles. Mas O Lorde Supremo é o livro em que as coisas realmente acontecem.

Batalhas sangrentas entre Magos, romance, tragédia, drama... É nele que esses assuntos batem o martelo e falam "Agora a gente aparece!". Como qualquer livro digno de se encerrar uma saga tem de ter. O Ápice.

Sonea, afinal, descobre os motivos dos assassinatos que vinham ocorrendo em Kyralia. Descobre de onde e porque eram enviados assassinos para matar Akkarin, e porque ele realizava a magia de sangue. E, por vontade própria, se dispõe a aprender tal magia, para ajudar Akkarin.

Sinceramente? Eu já gostava do Akkarin, apesar de tudo. Passei a gostar mais ainda dele.

O problema é quando tal escuro segredo é revelado e ambos são exilados de Kyralia para Sachaka.

E é aí que o caldo entorna e tudo que falei começa a acontecer.

Não vou entrar em detalhes, mas o romance construído pela Trudi me deixou feliz que nem criança quando ganha doce. Mesmo que ela tenha me feito desidratar no final, de tanto que chorei. Sabe, o quote no início da resenha do livro. Aviso que vão chorar feito bebê com fome nessa parte. E antes também. Choro é o que não falta nesse livro.

Diferente dos livros 1 e 2, em O Lorde Supremo não tive a sensação de enrolação. Não fiquei pensando que talvez isso ou aquilo pudesse ter sido abreviado. Tudo estava como tinha de ser.

As descrições da batalha, das coisas que ocorrem, de como a Universidade sofre, são de cortar o coração. Você quer matar a Trudi à cada acontecimento que te arrancar lágrimas.

Mas, ela "compensa" no final. Não direi como. Mas eu sinceramente espero que a Novo Conceito publique a continuação da trilogia (Traitor Spy Trilogy), e em breve. (enviei mensagem perguntando... se eles responderem, aviso :3)

Enfim...

O livro fecha perfeitamente a trilogia do Mago Negro. Mesmo com meu "Nhénhénhé" de que os livros 1 e 2 foram enrolados, gostei muito da saga.