20 julho 2011

Teorias de Conspiração - Prólogo

Olhei para a Lua Cheia no céu, a que se destacava. Meus olhos foram atraídos para a segunda Lua, orbitando ao redor da primeira. Sua energia que muitos do meu mundo acreditavam erroneamente ser maligna escorria para a Terra. E eu sabia que quando atingisse o ápice, à meia-noite, eu não consegui-ria controlar a fera dentro de mim. Não por causa da maldição ou algo assim, mas porque a fera queria voltar para o lugar de onde veio o primeiro dos seus. Voltar para casa. E a energia que vinha da segunda lua atiçava esse desejo. O tornava quase impossível de controlar.

Eu só esperava conseguir entregar aquilo que a escudaria a tempo.

Antes que Adriane, Kai ou Portos a encontrassem uma única vez.

Daria-lhe mais tempo.

Mas o sexto sentido daquilo que eu era antes de ser mordido gritava que eu não conseguiria...